Cofina e Meo anunciam extensão de contrato para distribuição da CMTV por mais três anos

Por a 4 de Dezembro de 2017
Octávio Ribeiro, Luís Santana e Paulo Fernandes (Cofina)

Octávio Ribeiro, Luís Santana e Paulo Fernandes (Cofina)

O canal CMTV, lançado em 2013 como um exclusivo da oferta do Meo e entretanto alargado também à NOS, acaba de garantir a sua distribuição através da operadora do grupo Altice por mais três anos. O acordo para a renovação do contrato de distribuição foi anunciado esta segunda-feira pelo grupo Cofina Media e pela Altice, com Paulo Fernandes, CEO do grupo de media que detém a marca Correio da Manhã, além de títulos como o Jornal de Negócios, Record ou Sábado, a sublinhar que ”o arranque da CMTV foi o início da concretização da sua estratégia de diversificar da imprensa escrita, e criar uma nova área de crescimento e rentabilidade, na área da televisão e audiovisual” e que “a parceria com o Meo foi crítica para este arranque”.

“Desde o primeiro momento acreditámos no potencial deste canal e no impacto que iria ter no audiovisual nacional”, reforçou Alexandre Fonseca, CEO do Meo, reafirmando que “a capacidade e vontade de ambos os grupos foram fundamentais para o sucesso deste projecto e hoje renovamos o acordo que nos permitirá continuar a disponibilizar aos clientes Meo, informação, entretenimento e desporto, num só canal em português e de produção nacional, disponível, na sua televisão ou através de tablet ou smartphone”.

Quase dois anos após o fim do contrato de exclusividade com o Meo e entrada na grelha da NOS, a CMTV continua a não estar disponível nas operadoras Vodafone e Nowo, situação apontada ao M&P por Paulo Fernandes, no início deste ano, como “fundamental”. “Apesar da liderança, é fundamental que a CMTV chegue à totalidade dos clientes de TV cabo em Portugal”, afirmou, referindo que “o interesse existe e os dois operadores têm mantido contacto connosco. Ainda não foi possível concretizar esta nossa ambição, mas temos a expectativa de vir a estar logo que estejam reunidas todas as condições”

Deixe aqui o seu comentário