Bareme Rádio: RFM volta a ultrapassar Comercial e fecha o ano na liderança

Por a 20 de Dezembro de 2017

RFMA RFM recuperou o estatuto de estação mais ouvida do país ao ultrapassar novamente a Comercial na quinta vaga do Bareme Rádio. A estação do grupo Renascença Multimédia tinha liderado na segunda e terceira vagas deste ano mas havia perdido a liderança na quarta vaga para a estação do grupo Media Capital Rádios (MCR). No entanto, de acordo com os dados agora divulgados pela Marktest, a RFM volta a ultrapassar a Comercial e fecha o ano na liderança com uma Audiência Acumulada de Véspera (AAV) de 16,5% (+0,7 pontos percentuais face à vaga anterior) contra os 15,9% registados pela estação do grupo MCR (-0,1 pontos percentuais). A estação do grupo Renascença lidera também em share de audiência com 25,3% contra 22,7% da Comercial, enquanto no indicador de reach semanal as duas estações se encontram empatadas com 32,6%.

No que diz respeito aos dois grupos de rádio dominantes, a liderança muda-se também para as mãos do grupo Renascença Multimédia, que vê a sua AAV subir de 23,2% para 24,2%, enquanto o grupo detido pela Media Capital desce dos 27,7% registados na última vaga para os 23,2%. O grupo Renascença lidera também em share de audiência com 36,8% contra 35% do grupo MCR, bem como em reach semanal com 46,6% contra 43,7%.

Depois de ter conquistado a posição de terceira estação mais ouvida do país na segunda vaga do Bareme Rádio deste ano ao ultrapassar a Rádio Renascença, a M80 fecha o ano nessa posição com uma AAV de 5,5% nesta quinta e última vaga do Bareme Rádio, enquanto a Rádio Renascença fica nos 5,4%. Entre as restantes estações, a Antena 1 continua a ser a quinta estação mais ouvida com uma AAV de 4,1% (-0,1 pp). A TSF perdeu o estatuto de sexta estação mais ouvida ao descer de uma AAV de 3,3% para 2,6%, tendo sido ultrapassada pela Mega Hits com 2,8% (+0,1 pp) e pela Cidade FM, que mantém os 2,7% da vaga anterior. Seguem-se a Antena 3 (1,6%), Smooth FM (1%), Rádio SIM (0,9%) e Antena 2 (0,4%).

Deixe aqui o seu comentário