Como a Born liderou o projecto de comunicação da nova cerveja de Isabel dos Santos (com vídeo)

Por a 30 de Novembro de 2017

LuandinaArranca esta quinta-feira a campanha de lançamento da nova marca de cerveja angolana Luandina, cujo projecto de comunicação, liderado pela Born, envolveu uma agência britânica e uma produtora argentina. “Foi um projecto de grande complexidade que tivemos a felicidade de acompanhar em todas as fases, desde as provas de produto ao desenvolvimento da identidade e packaging e à campanha global de lançamento que decorrerá em inúmeras frentes”, explica ao M&P Duarte Vilaça de Sousa, partner da agência portuguesa, adiantando que a Born foi a “leading agency” de um projecto global de comunicação que envolveu uma colaboração com a agência inglesa Webb deVlam, responsável pelo desenvolvimento da identidade e packaging da Luandina, e cujos filmes publicitários estiveram a cargo da produtora argentina Primo Buenos Aires.

“A Luandina é uma cerveja up-mainstream e vem disputar um mercado muito competitivo mas que vai continuar a crescer em função do aumento da população”, descreve o responsável sobre a nova marca apresentada este mês pela filha do ex-presidente de Angola, Isabel dos Santos, durante a inauguração da fábrica da Sociedade de Distribuição de Bebidas de Angola (SODIBA), que a empresária detém com o seu marido nos arredores da capital angolana. “O mercado das cervejas em Angola tem uma competitividade feroz, sendo disputada por marcas nacionais estabelecidas como a Cuca, a Eka e a Nocal e emergentes como a Tigra”, refere Duarte Vilaça de Sousa, lembrando ainda que “existem as marcas portuguesas como a Sagres (produzida na mesma unidade industrial), que regressou agora em força, e a Super Bock e as internacionais, agora menos presentes”.

Luandina2A campanha de lançamento, que pretende reforçar os atributos de angolanidade e de qualidade da Luandina, incluiu dois filmes publicitários com assinatura do realizador brasileiro Rog Souza e produção da Primo Buenos Aires, além da presença em rede de outdoors, ponto de venda, redes sociais e em eventos especiais da marca. Numa breve entrevista ao M&P, o partner da agência explica como foi o desenvolvimento do projecto.

M&P: Este projecto envolve, além da Born, uma agência inglesa e uma produtora argentina. Como surgiu esta oportunidade de a Born integrar o projecto de lançamento da cerveja Luandina e de assumir a liderança do projecto?

Duarte Vilaça de Sousa (DVS): A Born iniciou a sua colaboração com a SODIBA com o relançamento da cerveja Sagres. Embora trabalhemos para o mercado angolano desde 2008, constituímos a Born Angola formalmente em 2013, onde temos actualmente uma equipa de cerca de 30 profissionais. Esta presença foi determinante para a construção da relação de parceria com a SODIBA, com quem discutimos a selecção de agências parceiras, com experiência internacional na construção de marcas de bebidas. A escolha recaiu na Webb deVlam, agência com a qual trabalhámos com grande alinhamento estratégico ao longo do processo, partilhando insights sobre o mercado e a cultura angolana para a fase de desenvolvimento da identidade e packaging. Seguiu-se o processo de comunicação, da responsabilidade da Born. Na vertente de publicidade procurámos, juntamente com a SODIBA, encontrar um registo de realização diferente daquele que existe em Angola, tendo a escolha recaído na Primo Buenos Aires e no Rog Souza, que têm experiência a trabalhar cervejas no continente americano, como a Brahma e a Budweiser.

M&P: A Born é acima de tudo uma agência de branding mas acabou por ficar mais com o lado da campanha de publicidade, com o branding assegurado pela Webb deVlam. Como é que se chegou a esta forma de organizar o trabalho e como se integrou e ligou o trabalho entre as duas agências no processo?

DVS: A Born posiciona-se como uma agência de matriz estratégica, com a capacidade de entregar projectos de geometria variável entre as várias disciplinas que constituem a comunicação nos nossos dias. Estamos preparados para entregar projectos de branding puros mas também de publicidade ou activação de grande impacto, como foi o caso do Mega Pic-nic Continente ou da Festa da Música da Unitel. Neste caso, desenvolvemos um verdadeiro trabalho de equipa com as equipas da SODIBA e da Webb deVlam, com a intervenção numa primeira fase da nossa equipa de brand consulting. Ao logo do processo tivemos sessões de trabalho em Luanda, Londres e Lisboa. As etapas de trabalho foram sempre partilhadas e, à medida que o projecto avançou, as equipas de design, publicidade, activação e digital da Born foram desenvolvendo as especialidades que, no seu conjunto, procurarão dar mais vida à Luandina.

M&P: Quais foram os objectivos traçados e qual o briefing que vos foi pedido?

DVS: O briefing da SODIBA foi claro: criar uma marca campeã, com padrões de qualidade mundiais. Começar por ser uma alternativa forte em Angola, indo conquistando o seu espaço entre as marcas estabelecidas e as emergentes, mas estando igualmente preparada para o desafio da internacionalização, quando chegar. Penso que o trabalho desenvolvido por todos vai permitir que esse objectivo seja cumprido.

M&P: Após esta fase do lançamento, a Born irá continuar a trabalhar a marca? Quais são os objectivos a médio prazo?

DVS: Já estamos a trabalhar com a SODIBA no futuro da Luandina e esperamos continuar por muito tempo. Apesar de existir grande concorrência, há espaço para inovação, provavelmente até maior do que em Portugal, onde historicamente existe menor diferenciação entre os dois gigantes Sagres e Super Bock.

Deixe aqui o seu comentário