A moda das rotas de bebidas e comida

Por a 24 de Outubro de 2017

pjimage (62)Até 29 de Outubro decorre em Lisboa a primeira edição da Rota dos Petiscos e Vinhos de Alentejo que conta com a participação de 10 restaurantes que, por 3,50 euros, apresentam um petisco do Alentejo, acompanhado por um copo de vinho da região. Enquanto os restaurantes vêem aumentar a sua frequência, a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) dá a conhecer vinhos dos seus produtores. Este modelo tem sido seguido por marcas como a Estrella Damm e por entidades como a Associação Comercial de Braga.
Tiago Caravana, marketing manager da CVRA, explicou ao M&P como nasceu a nova rota de Lisboa: “Nos últimos anos tivemos um concurso de restaurantes em que a ideia era cruzar a dieta mediterrânica com vinhos do Alentejo. Quisemos fazer este ano um evento diferente, que atingisse uma camada mais jovem. Fizemos um estudo que indica que as camadas mais jovens, à medida que vão envelhecendo, não renovam o consumo de vinho tal como acontecia com os pais e avós. Há uma idade, a partir dos 25 ou 30 que as gerações anteriores começam a beber vinhos às refeições. Para este público mais jovem, este processo é mais lento. Começam a beber, com regularidade e moderação, mais tarde.” A iniciativa pretende, por isso, popularizar a conjugação da refeição com vinho. Apesar de não adiantarem números relativos ao impacto esperado, o certo é que foram impressos 20 mil passaportes para que os consumidores possam usar e carimbar nos restaurantes aderentes.
Entre Setembro e Outubro decorreram iniciativas do género nas principais cidades do país. Provavelmente o mais consolidado é a Rota das Tapas Estrella Damm, que já vai na 10ª edição e que este ano se prolongou por 19 dias. O modelo foi importado de Barcelona. O menu propõe uma tapa e uma cerveja a três euros. Faro foi a cidade que se juntou à iniciativa da marca de cerveja, que já decorria em Lisboa, Porto e Braga, e que este ano chegou a mais de 100 restaurantes. “A 10ª edição da Rota de Tapas Estrella Damm revela já um upgrade do evento inicial, com mais restaurantes mas também com tapas cada vez mais interessantes e inovadoras, chegando a ser disruptivas e divertidas”, comentou Vanessa Germano, brand manager da Estrella Damm, aquando do lançamento da edição de 2017.
Já o Verde Cool, evento organizado pela Associação Comercial de Braga, em parceria com a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, começou em 2015 com 22 espaços aderentes. Este ano foram 42, tendo sido alargado a outros concelhos do distrito, como Amares, Terras de Bouro, Vila Verde ou Vieira do Minho. O conceito mantém-se. À boleia da divulgação dos vinhos da região, por três euros os consumidores podem provar um vinho verde e um petisco. A iniciativa prolongou-se por seis semanas, coincidindo com a Rota da Estrella Damm. Resultado: havia na cidade 53 opções de petiscos e bebida.

Deixe aqui o seu comentário