Novos canais e exportação de conteúdos para mercados internacionais entre os planos da Altice para a Media Capital

Por a 14 de Julho de 2017

Altice Studios PluralA TVI, estação líder de audiências em Portugal, será o principal activo a passar para as mãos da Altice com a concretização da Oferta Pública de Aquisição (OPA) agora oficializada. Mas os planos da dona da PT e do Meo para a Media Capital vão para além da estação de Queluz. No documento enviado à CMVM, o grupo francês explica que a aquisição do grupo Media Capital se enquadra na “estratégia de convergência global da Altice e segue o caminho adoptado em França, nos Estados Unidos e em Israel”, identificando sete áreas onde pretende investir como forma de assegurar para a operação de media “o seu sucesso num panorama digital e dos media em rápida evolução e com novos desafios e oportunidades”.

Entre os planos da Altice, o investimento na área de produção de conteúdos é transversal a várias das prioridades elencadas, revestindo de grande importância para a estratégia do grupo francês outro dos activos da Media Capital, a produtora Plural. Um dos objectivos passa por “usar a Plural como núcleo de produção de conteúdos global”, no sentido de, em conjunto com a intenção de “aumentar os investimentos em conteúdos portugueses”, “exportar conteúdo português para outros territórios em que a Altice actue, em especial para França e para os Estados Unidos”, aponta o grupo no comunicado enviado à CMVM. “A Altice quer fornecer mais conteúdos a todos os consumidores portugueses num mundo digital e, como tal, disponibilizar mais oferta centrada em formatos e produção locais”, reforça a empresa, garantindo que “a integridade e a independência editorial da sociedade visada (Media Capital) será um princípio orientador, tal como sucede em todos os negócios da Altice em media global”.

Riviera - Series 01

Riviera – Series 01

Recorde-se que o grupo francês tem vindo a reforçar a aposta nesta área da produção de conteúdos para exportação, como é o caso da produção de séries próprias através da unidade Altice Studios, com a operadora Hot, detida pelo grupo em Israel, a funcionar como centro de produção. A primeira série própria a nascer pelas mãos da Altice Studios, Riviera, foi apresentada no passado mês de Junho e é actualmente emitida em Portugal através do MCS LifeStyle, canal exclusivo da operadora Meo.

Além da aposta na produção, na área de televisão a Altice manifesta ainda a intenção de “desenvolver novos canais televisivos e formatos”, bem como “melhorar o alcance de canais fundamentais”, com destaque para o canal de informação TVI24. Durante a conferência de imprensa que teve lugar esta sexta-feira de manhã, Michel Combes, CEO da Altice, detalhou que a intenção passará por  “lançar novos canais dedicados para as novas plataformas”.

Sobre esta aposta em novos canais, Allain Weill, CEO da Altice Media, ressalvou que “ainda é cedo, temos de analisar e definir com a liderança de Rosa Cullell a direcção para onde iremos”. Nas palavras do responsável, a Media Capital “tem sido muito bem gerida e tem ajustado os custos. Temos já identificadas oportunidades para crescer”, afirma, deixando algumas postas sobre o que a empresa pensa fazer nesta área: “Vamos desenvolver uma estratégia de conteúdos. Em Paris vamos lançar canais de ficção, a Altice Studios. E temos a Altice Sports”, lembra.

O grupo francês aponta ainda o objectivo de “investir na expansão digital” e “lançar novos serviços inovadores”. O digital será, aliás, a prioridade no curto prazo já que Michel Combes aponta esta como a primeira área a investir. “Acreditamos que podemos ir longe apoiados na nossa capacidade tecnológica para ajudar a media capital a migrar para o digital”, refere, sublinhando que, com este negócio, se tornam “os primeiros a juntar o número um em telecomunicações e número um em media”.

Segundo a empresa, a aquisição da Media Capital contribuirá sobretudo para “fortalecer significativamente o sector dos media português, que continua a assistir a um aumento contínuo da concorrência internacional, em particular por parte dos operadores de internet globais”.

Deixe aqui o seu comentário