Estudo: Afinal portugueses não fazem consumo consciente

Por a 19 de Abril de 2017

Closeup of a mark on impressed map of PortugalNa compra de um automóvel, apenas 15 por cento dos portugueses se preocupa em verificar os critérios ambientais, sendo esta preocupação maior nos homens do que nas mulheres. Na compra de detergentes, em 2016 apenas 2,3 por cento compra detergentes não poluentes. O consumo de água engarrafada e de carne também tem vindo a aumentar. No entanto, também se regista um aumento (10,3 por cento) do consumo de comida biológica ou produzida em Portugal com 38 por cento dos inquiridos em 2016 a afirmar que o fazem muitas vezes/sempre.
Os dados constam do Observatório do Consumo Consciente, promovido pelo Fórum do Consumo, em parceria com a GFK, o IADE e a Universidade Lusófona. Foram inquiridos 1255 indivíduos.
Os portugueses estão também a usar cada vez menos os transportes públicos, com apenas 28 por cento a afirmar que o faz muitas vezes/sempre. Em 2016, também aumentou o uso diário de automóvel, com quase 60 por cento dos inquiridos a afirmar que o faz muitas vezes/sempre. No entanto, andar a pé ou de bicicleta em trajectos curtos é uma tendência cada vez maior com 67 por cento de respostas positivas.
Quanto aos comportamentos de consumo sustentáveis, a maioria admite que poucas vezes tem a preocupação em desligar computadores, tomadas, entre outros, em casa ou no escritório. Relativamente à reciclagem e poupança de recursos (ex: separei as embalagens, verifiquei embalagens, fechei a água…), os valores também não atingem os 50 por cento. Além disso, cerca de 70 por cento dos inquiridos têm a opinião de que os problemas ambientais irão ter um impacto na sua vida, sendo que mais de metade admite que pouco pode fazer face a essa realidade.

Deixe aqui o seu comentário