Altice equaciona descontinuar marcas Portugal Telecom e Meo

Por a 20 de Abril de 2017

MEO-logoAbandonar as marcas Portugal Telecom e Meo é um cenário que está a ser colocado em cima da mesa pela Altice em favor de “benefícios que podem resultar da adopção de uma marca global”. A expressão consta do relatório e contas de 2016 do grupo francês agora dono da PT como uma intenção a nível global, estando, segundo avança esta quinta-feira em manchete o jornal Público, a ser equacionado esse cenário no mercado português, onde a Altice detém a operadora Meo para o segmento residencial e a marca PT Empresas para o segmento empresarial. De acordo com o título da Sonaecom, a PT Portugal garante que não há decisões tomadas mas que o cenário é uma possibilidade tal como é referido no relatório e contas do grupo francês, onde se refere ainda que a estratégia poderá passar por “harmonizar e mudar marcas existentes nos países onde o grupo está presente”. O Público avança ainda que, a confirmar-se esse cenário no mercado português, onde o grupo estará a avaliar a mudança das marcas de telecomunicações, incluindo a descontinuação do Meo e da PT Empresas, ficarão de fora do processo o portal Sapo e a marca para o segmento jovem Moche.

Recorde-se que a PT é um dos maiores anunciantes do mercado publicitário português, tendo investido em 2016, a preços de tabela, 226,5 milhões de euros, sendo apenas superada pela Unilever-JM. O Meo, alvo de um rebranding no início de 2014 que acabaria por levar à descontinuação da marca TMN e alargamento da marca Meo a todos os serviços de comunicações residenciais do grupo, é uma das marcas com maior peso na comunicação publicitária e institucional em Portugal, contando com presenças em territórios que vão do futebol, onde é naming sponsor e detém os direitos dos jogos do FC Porto, à música, onde empresta o naming aos festivais Meo Sudoeste e Meo Marés Vivas.

Deixe aqui o seu comentário