Precisa de uma loja por um dia?

Por a 14 de Agosto de 2016

yaChristina Lock, de 29 anos, viveu entre Londres e a Ásia mas instalou-se em Lisboa por questões profissionais. A quantidade de lojas vazias que via pela rua quando ia para o escritório e o surgimento de tantas novas marcas e empresas fê-la pensar que se poderia criar uma sinergia entre os donos desses espaços e as marcas. No entanto, a motivação para criar a Yoochai surgiu “quando algumas amigas estrangeiras, que têm os seus próprios negócios e marcas, me vieram visitar. Todas me perguntavam como poderiam ter a marca delas cá em Lisboa, nem que fosse apenas durante o Verão ou durante um curto período para testar o mercado”, conta ao M&P a gestora que passou pela Merrill Lynch, Deutsche Bank, área internacional do BES e é actualmente portfólio manager no Novo Banco.
A Yoochai apresenta-se agora como plataforma digital para reservar espaços de retalho num curto período de tempo, de um dia até um ano. “Proporcionamos acesso imediato a espaços de retalho, sejam lojas vazias à espera de um novo conceito, cantos dentro de uma loja existente, restaurantes ou espaços para eventos. Isto de uma forma simples e sem complicações.” Para os proprietários, a presença na plataforma é gratuita mas por cada negócio realizado a Yoochai fica com 10 a 15 por cento do valor do contrato.
A oferta de espaços está concentrada no Chiado, Príncipe Real ou Cais do Sodré, englobando posições no mercado da Ribeira, miradouro de São Pedro de Alcântara, concept stores, hostels e lojas vazias. A ambição é nacional. “Neste momento estamos a expandir para os quatro cantos de Portugal, para oferecer na plataforma diversas possibilidades para os nossos clientes, mas em breve haverá novidades de outros locais onde achamos que as marcas e negócios de cá vão adorar estar presentes”, aponta Christina Lock.
Desde o arranque, a empresa já ajudou marcas estrangeiras a encontrar o seu primeiro espaço em Lisboa (como a ODDE, Houndsditch ou Hot Pod Yoga), marcas portuguesas fora de Lisboa a testarem o mercado da capital (Efeito D, Maria Maleta, Milk & Snow, Nazareth Collection ou Lulook) e marcas online que queriam uma pop-up store temporária (Tuhkana e CRU Swimwear). “Até ao momento, temos ajudado mais de 50 marcas e empresas, e assinámos acordo com vários proprietários em Lisboa, grandes e pequenos. Ainda sem acordo assinado temos neste momento a possibilidade de colocar perto de 80 espaços na plataforma”, antecipa a responsável.

Um comentário

  1. Pedro Silva

    29 de Agosto de 2016 at 11:47

    Já existe pelo menos dois conceitos idênticos a funcionar em Lisboa online à cerca de 2 anos. As lojas que continuam vazias deve-se ao fato dos proprietários não quererem arrendar por curtos periodos de tempo, seja por um dia seja por um 1m ês.

Deixe aqui o seu comentário