Velhos são os trapos

Por a 18 de Julho de 2016

iggy popNuma semana em que Iggy Pop aos 69 anos vira o Meo Arena ao contrário, no Super Bock Super Rock, e Mick Jagger, dos Rolling Stones, anuncia que vai ser pai aos 72 anos pela oitava vez, podemos dizer que, de facto, «velhos são os trapos».
Este é o cenário que hoje caracteriza os boomers, além do seu poder financeiro estão a redefinir igualmente aquilo que significa envelhecer, enquanto estilo de vida e não como a espera de uma morte anunciada.
Os boomers cresceram na era do consumismo e estão mergulhados nele. A sua dimensão populacional ajudou a definir o consumo, tendências e marcas, re-inventando mundialmente cada fase da sua vida. Nos EUA estão prestes a ser metade da população, representando 70% do rendimento disponível do país. Em Portugal são uma boa parte do suporte financeiro de muitas famílias, estando cada vez mais activos nas redes sociais, dependendo fortemente da tecnologia, gastando cada vez mais em viagens, em animais de estimação, entretenimento e fitness.
Durante muito tempo foi desenvolvida a ideia no marketing que o foco nos jovens construiria uma fidelidade à marca durante décadas. Claro que essa “filosofia” arrancou quando os Baby Boomers foram os consumidores jovens nas décadas de 1950, 1960 e 1970 e as enormes oportunidades que isso representava. Hoje os profissionais de marketing devem reafirmar o seu compromisso com estes consumidores, porque as oportunidades continuam aí. O sexo, drogas e rock ‘n’ rol, apenas mudou para sexy, social e saudável mas ainda com muito rock ‘n’ rol, como se tem visto.

Artigo de opinião de Fernando Gaspar Barros, Brands Like Bands

Deixe aqui o seu comentário