Young Lions: Arrisquem. Petisquem. Já dizia o outro: Impossible is nothing

Por a 1 de Março de 2016
Clara Tehrani  (hoje na FCB de Hamburgo ) que com o Nuno Teixeira ( hoje na Crispin Porter + Bogusky  Colorado )  ganharam medalha de ouro 2009  em imprensa

Clara Tehrani (hoje na FCB de Hamburgo ) que com o Nuno Teixeira ( hoje na Crispin Porter + Bogusky Colorado ) ganharam medalha de ouro 2009 em imprensa

Por esta altura, a Clara de 2009 ainda acorda todos os dias do sonho de que o mundo é uma ostra, a sua ostra, fresca, gorda e deliciosa. Por esta altura de 2009, a Clara que fui eu ainda só tem um saco cheio de limões e muita vontade de lhes juntar Vodka e tónica, mas como… como? A Clara de 2009 está, nesta altura, semi-derrotista: aos 28 anos, este é o último para participar nos Young Lions, a última hipótese de encontrar o bilhete dourado que a pode mandar daqui (daí) para fora. Ela quer tanto, tanto, tanto, que pode, e junto com o Nuno Teixeira ganham a competição portuguesa.

Whoa!, ir finalmente a Cannes, viver aquelas histórias todas que os criativos sénior contavam, saber quanto daquela debocharia é realmente verdade e quanto fantasia, só isso por si já era incrível. Ganhar qualquer coisa em Cannes, ui, isso é que era!, pensava eu, com a mesma determinação que todas as sextas-feiras distribuía o primeiro prémio do euromilhões pelos meus amigos e pelos meus anos, mas com pouca fezada.

Imagem_3Se calhar foi isso. Íamos relaxados. Era já um achievement ir a Cannes sem pagar, e com a Carol e o César, nossos colegas na FCB a competir na categoria de filme ia ser um festão! Fomos antes de toda a gente – não sei se ainda é assim mas em 2009, a competição de YL imprensa acontecia no pré-Cannes. O Palais estava ainda a ser montado, a coisa só começava mesmo na quarta-feira e era segunda. Recebemos o briefing. Conhecemos a competição. Eram todos gente boa –muitos ainda meus amigos – e fomos caminhar junto à praia, pensar. Os hamburgers eram mais de 15 euros e cada cerveja upa-upa, por isso fomos ao supermercado e para o quarto. Acabámos por adormecer com um bloco cheio de rabiscos e acordar com muitas incertezas. Agora, tínhamos 12 horas para entregar qualquer coisa….

Interessante a relatividade do tempo. Cada minuto demorava uma eternidade a desprender-se dos outros, cada decisão uma migalha no caminho do sucesso, ou do fracasso, que caminho tomar, que foto escolher?… e, de repente eram 4 da tarde. O verdadeiro pânico instalou-se aquando da primeira impressão (cada dupla só tinha direito a 3…): que feio estava, tudo super-saturado, e como acertar no tom certo com apenas 1 erro? Foi provavelmente o maior golpe de inspiração de todo o processo: imprimimos a segunda prova às tiras, com vários níveis de saturação, e escolhemos finalmente a versão final.

Às 5, estava entregue. Às 5:40 começámos a relaxar, certos de que não iríamos ganhar, mas felizes com a tranquilidade consciente de um trabalho bem feito. Fomos dormir bêbedos senão desconfio que não teríamos dormido. E às 10 da manhã de 4a feira lá estávamos nós em frente ao júri todo sem mais unhas para roer. Havia claro uma ou outra dupla de peito cheio, mas a maioria estava na sarjeta como nós.

O David Lubars (presidente do júri esse ano) fala, motiva, e o estômago enrola, torce-se. Olha, ali o Bomtempo, está a filmar. E a garganta aperta. Nuno!, Nuno!, está ali o nosso, nos 3 que ele tem na mão, é não é?
– Em terceiro lugar, Roménia… (será que ficámos nos 2 primeiros?)
– Em segundo lugar, Costa Rica… (NO FCKING WAY!)
Mas sim. Era nosso o primeiro. O Ouro! Entre abraços, beijos, flashes, sorrisos e lágrimas, cai-nos na mão um cartão: John Merrifield, TBWA\Singapore e um convite ‘Call me’.

E pronto, o resto é como foi. Fomos para Singapura onde ficámos quase 4 anos e queimámos muito passaporte. O Nuno encontrou uma esposa e nova dupla; eu encontrei novas versões da Clara e continuei a actualizar. Assim são as coisas. Muito mais simples, muito mais possíveis do que pensamos quando estamos nelas embrulhados. Dêem uma hipótese aos vossos eu-de-hoje de serem surpreendidos. Arrisquem. Petisquem. Já dizia o outro: Impossible is nothing. Boa Sorte.

 

*Por Clara Tehrani, Young Lions Print Gold 2009

Para participar nos Young Lions, os candidatos devem até 7 de Março, enviar os seus portfólios e CV através do younglionsportugal.mop.pt

Deixe aqui o seu comentário