Pioneiros: O último artigo de opinião de Ricardo Mealha no M&P

Por a 26 de Outubro de 2015

ricardo mealha 2Em Portugal cria-se cada vez mais e copia-se cada vez menos. E isso é bom. Nós somos um país de inventores, mas de uma forma generalizada ainda temos algum receio em arriscar novas ideias, novos conceitos ou novos projectos. Sempre fomos à procura do que já existe por esse mundo fora, menosprezando o nosso poder criativo. O pioneiro é aquele que cria sem medo de falhar, que olha para a frente e não para o lado, que acredita ser possível montar um negócio inovador através da intuição, de um sexto sentido, procurando dar um valor acrescido àquilo que faz parte da nossa cultura. No fundo, o pioneiro é um empreendedor criativo. Procura novas soluções, que muitas vezes estão à vista de todos, mas que passam despercebidas. E deve ser esta, cada vez mais, a nossa realidade.
Durante anos, no meu percurso profissional fui abordado por clientes visionários em Portugal com os quais trabalhei, e continuo a trabalhar, em parceria na realização de projectos pioneiros. Lembro-me por exemplo de três: quando ainda pouco se falava de sushi em Portugal, surgiu o restaurante de sushi na Bica do Sapato no final dos anos 90. A Bica do Sapato é um projecto pioneiro para o qual eu fiz a imagem gráfica. Outro projecto de imagem gráfica pioneiro, que entretanto chegou ao Brasil e em breve chegará a Angola, é o H3. Este é um dos maiores casos de sucesso, senão o maior, de comida gourmet rápida. Outro cliente inovador que criou uma nova categoria de produtos é A Vida Portuguesa. Antes não havia o conceito de “produtos de saudade”. Hoje em dia estão presentes de norte a sul do país, em conceitos semelhantes, tanto para portugueses como para estrangeiros.
Quando existe um projecto pioneiro bem estruturado, é quase sinónimo de um caso de sucesso. Tal como nos projectos que enunciei, estes tornam-se criadores de tendências, sendo seguidos por inúmeros empreendedores que apostam nas mesmas estratégias, de modo a tentar garantir um sucesso automático e imediato.
Neste sentido, é também crucial ter uma capacidade de análise crítica do mercado e verificar quais a actuais necessidades ou, em alguns casos, aquelas que podem ser criadas e que quase garantidamente irão ficar no centro das atenções. Importa também a rapidez deste raciocínio, já que o pioneiro pode originar um volume de negócios substancial e ajudar outros empreendedores menos criativos a criarem os seus negócios de uma forma inovadora.

Artigo de opinião de Ricardo Mealha publicado no M&P online a 10 de Julho de 2015. O designer, que faleceu este domingo, foi ao longo dos anos autor de vários artigos de opinião no M&P, chegando a ser colaborador regular. A partir de Julho Ricardo Mealha deveria ter retomado a escrita regular de artigos para o M&P. Infelizmente, só chegamos a publicar o texto Pioneiros, que recordamos agora. O velório  de Ricardo Mealha terá lugar esta terça-feira a partir das 16h30, na Igreja de S. João de Deus (Lisboa).

Deixe aqui o seu comentário