Opinião: A Música não é blah, blah, blah…

Por a 11 de Setembro de 2015

HPIM6052Isto da música tem que se lhe diga, não por ser complexa ou por estar apenas acessível a génios, pelo contrário, mas pela sua abrangência e por tudo aquilo que ela consegue mover, conciliar e até revolucionar. Às vezes dou por mim num concerto e olho à volta… Tanta gente com histórias tão distintas, diferente umas das outras, que podem ir do engenheiro ao pedreiro. Também acontece com os clubes de futebol, é certo, mas ainda não temos no universo musical programas de debate semanais, em pelo menos meia dúzia de canais, onde as pessoas se degladiam, transportando para a mesa redonda um sentimento que vem das bancadas.

III Festival BLB_PNGA música une e isso é um facto. Temos confirmado isso com o Festival das Bandas de Empresas (Festival Brands Like Bands) onde já juntámos em três edições mais de 20 empresas, todas elas diferentes umas das outras. E dentro das próprias empresas, as pessoas, também elas diferentes entre si, unem-se igualmente para irem ver a sua banda, a sua empresa… e as outras empresas, concorrentes ou não.

Sendo a música uma poderosa ferramenta de comunicação, este Festival não podia deixar de ser exactamente um projecto de comunicação, onde as empresas se mobilizam internamente, e também junto da rede pessoal de cada um dos colaboradores, abrindo-se à sociedade, não como empresas mas sim como marcas cool, onde a sua maior activação são as suas próprias pessoas.

Assim, Liberty Seguros, SISCOG, Mind Source, CEiiA, Siemens, ANA – Aeroportos de Portugal, ROFF, Grupo Impresa (Norte), Samsung, INESC TEC e Closer sobem ao palco não para nenhum blah, blah, blah mas para revelarem a sua maior essência através da música. Vens ver ou vais ouvir dizer?

Artigo de opinião de Fernando Gaspar Barros, responsável do Festival Brands Like Bands

Deixe aqui o seu comentário