O vírus de Casillas

Por a 2 de Setembro de 2015

João CoutinhoConfesso que fiquei bastante surpreendido quando li que o Iker Casillas vinha para o Porto. Fiquei surpreendido porque não acho que o Porto estivesse a precisar de mais um guarda-redes. Além disso o Casillas nas últimas 3 épocas esteve bem longe da forma que fez dele por varias vezes, o melhor guarda-redes do mundo. As suas más exibições na época passada abriram espaço à contestação por parte dos adeptos do Real Madrid, que o chegaram a assobiar. Vários amigos portistas me perguntaram se estava contente, que vinha aí o Casillas, a Carbonero, que ia ser muito bom e não sei que mais. Não soube bem o que responder.
Do ponto de vista desportivo, desejo a melhor sorte do mundo ao Iker Casillas no FC Porto. Precisamos do atleta que ganhou três Champions League, dois Campeonatos Europeus, um Mundial e vencedor por varias vezes da Liga Espanhola. Com 34 anos ainda tem muito para dar e vai com certeza trazer experiência e cultura de vitória ao balneário.
A vinda do Casillas para o Porto teve um impacto mediático enorme. Primeiro de tudo porque saiu um dos maiores símbolos do Real Madrid, uma estrela do futebol mundial. Isso chamou a atenção de todo o tipo de media no planeta terra. Do Japão ao Canada muito se falava na ida do guardião para o clube Português com mais títulos internacionais, um dos grandes da Europa e uma referência para qualquer jogador. E a pergunta que se punha logo a seguir era se Sara Carbonero iria viver com ele para a cidade do Porto. Primeiro disseram que a jornalista ia ficar em Madrid. Depois, parece que mudou de ideias e segundo se sabe, andam à procura de casa na zona da Foz e de um professor de português.
Mas antes do guarda-redes da Selecção Espanhola vir para o Porto, o Porto já estava na moda. Em 2014 foi eleito o Melhor Destino Europeu, deixando para trás Paris, Londres, Roma, Barcelona ou Berlim. É destaque frequente no The Guardian, New York Times, BBC e outras públicações de renome mundial.
As distinções internacionais sucedem-se, há cada vez mais turistas, tem uma vida cultural e artística impressionante. Todos os dias abrem novos Hoteis, restaurantes e negócios ligados à actividade turística. Projectos bem feitos, com pés e cabeça, como tive a oportunidade de comprovar.
Será que Iker Casillas vai trazer ainda mais turismo? É provável que um ou outro curioso. Numa escala mundial, duvido. São estes prémios e distinções turísticas que tem posto a cidade na boca do mundo. Fruto do empreendedorismo que caracteriza os Portuenses e do excelente trabalho que o Presidente Rui Moreira tem feito na Câmara. O Porto é hoje em dia uma marca sólida e consistente. O Porto não imita, é imitado. Veja-se o que aconteceu com aquele projecto de animação da Câmara de Berlim, que copiou descaradamente a nova identidade visual do Porto. Hoje o Porto é uma cidade falada em todo o mundo. Neste ultimo ano, vários amigos americanos me pediram dicas sobre o Porto, porque vem visitar a cidade
A vinda da família Casillas fez a cidade viralizar por momentos. Mas já voltou tudo ao normal, quer dizer, em grande!

Artigo de opinião de João Coutinho, director criativo da Grey Nova Iorque e adepto do FC Porto. Publicado originalmente na edição 748 do M&P

Deixe aqui o seu comentário