Marcas da distribuição com quota de 41,2 por cento em 2015

Por a 18 de Janeiro de 2012

A venda de bens de grande consumo (FMCG) vai estagnar até 2015. A previsão da Kantar World Panel, feita com base na análise de um painel com 4 mil lares, foi dada a conhecer no IV Congresso da Moderna Distribuição, que teve lugar entre 17 e 18 de Janeiro, no Museu do Oriente.

Entre 2012 e 2015, a evolução média das vendas de bens de consumo vai ficar próxima dos zero por cento em volume e crescer apenas 0,3 por cento em valor, revelou Luís Simões, managing director da Iberia Kantar Wordpanel, no congresso que reuniu cerca de 400 profissionais em Lisboa.

A evolução da categoria de alimentação será de zero por cento a dos frescos 0,1 por cento, a de limpeza no lar de 0,3 por cento e, por último, a de higiene e beleza vai registar um crescimento médio anual de 0,5 por cento até 2015. As cestas vão aumentar em frequência de compra mas encolher em número de artigos. Actualmente, a média é de 12 unidades por cesta e um gasto médio de 23 euros.

Quanto às marcas da distribuição (sem contabilizar os frescos), essas, beneficiam com a actual conjuntura. Vão passar de uma quota em valor de 36,7% (2011) para 41,2%. “Em média, as marcas do distribuidor vão crescer 1% ao ano até 2015″, remata Luís Simões.

 Rita Gonçalves (HiperSuper)

Deixe aqui o seu comentário