92% dos portugueses não sabem quando é desligado o sinal analógico de televisão

Por a 5 de Janeiro de 2011

Mais de 90% dos portugueses não sabem em que ano é desligado o sinal analógico de televisão. De acordo com um estudo realizado pela Universidade Lusófona de Lisboa, apenas 7,8% dos portugueses com mais de 18 anos identificaram 2012 como o ano do switch off, tendo 85,4% dos inquiridos afirmado não saber quando tal vai acontecer, 6,1% indicado 2011 como a data do desligamento e 0,7% escolhido 2013.

Ainda de acordo com o inquérito, feito junto a uma amostra representativa da população portuguesa (1.205 indivíduos), os custos associados à TDT são a principal preocupação junto dos inquiridos (60,6%), sendo que 53,7% consideram que o processo de transição deveria ser mais demorado “dando mais oportunidade às pessoas para adquirirem mais informação” e 48,3% mostram-se surpreendidos com a data do switch afirmando não saber “que o sinal analógico de TV ia ser desligado em breve”. O interesse da própria televisão digital gera respostas díspares, com 58,5% dos inquiridos a manifestarem ter interesse ou muito interesse e 8,6% não ter interesse ou ter pouco interesse nesta plataforma. 26,7% revelam um interesse moderado.

Junto aos 525 inquiridos com televisão analógica paga, apenas 23,4% manifestam o interesse na aquisição de equipamentos ou na subscrição de um serviço para receber televisão digital nos próximos 12 meses. 45,5% escolhem não sabe/não responde como opção e 34,1% afirmam não ter intenção de adquirir nenhum dos principais equipamentos e/ou serviços de televisão.

A Anacom anunciou ontem as datas oficiais do switch off, com a primeira fase a decorrer a partir de 12 de Janeiro de 2012 “para os emissores e retransmissores que asseguram sensivelmente a cobertura de uma faixa litoral do território continental, a 22 de Março de 2012, “para os emissores e retransmissores que asseguram a cobertura das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira” e a terceira fase a 26 de Abril de 2012, para os restantes emissores e retransmissores.

Deixe aqui o seu comentário