Quatro empresas consultadas para novo sistema de medição de audiências

Por a 27 de Agosto de 2010

AGB Nielsen, Kantar Media/TNS, GFK e Marktest são as empresas abordadas pela CAEM no âmbito do processo do novo sistema de medição de audiências de televisão, adiantou ao M&P Fernando Cruz, director-executivo da entidade que reúne representantes dos media, anunciantes e agências de meios. As empresas de estudos de mercado foram abordadas pelo organismo para averiguar do seu interesse em participar num eventual concurso público que a Comissão de Análise de Estudos de Mercado venha a avançar para o novo sistema de audimetria. A decisão sobre a forma como a CAEM irá abordar o mercado (concurso público, consulta ou ajuste directo), explica Fernando Cruz, levará em linha de conta o feedback das empresas contactadas, sendo a decisão tomada na próxima reunião da CAEM prevista para 7 de Setembro. No mesmo encontro será ainda tomada uma decisão sobre a aprovação do caderno de encargos que determinará as exigências do futuro sistema de medição de audiências televisivas. Contemplados no caderno de encargos estão dois sistemas tecnológicos: o sound matching e o in-coding (em que o operador/canal coloca um código identificativo na sua emissão, permitindo a medição). Os dois sistemas permitem a medição das audiências da TDT, são ‘agnósticos’ ao tipo de terminais e de box pondo cobro a alguns dos actuais problemas, permitindo ainda medir a audiência time-shift, ou seja, a audiência de programas que foram gravados e só mais tarde visualizados num período de sete dias. Os dois sistemas de medição são em lar, não estando previsto no caderno de encargos que o novo sistema de audimetria contemple a medição de audiências fora do lar. Até ao final do ano a CAEM diz que a decisão sobre o novo sistema de audiências televisivas estará tomada. Um timing pressionado pelo arranque faseado da TDT no mercado português. “Não termos alternativa”, diz Fernando Cruz, relembrando que o “segundo semestre de 2011 é o forte da implementação da TDT” e que “a existir um processo de transição” para um novo fornecedor de serviços este demorará “no máximo seis meses”.

Os timings do lançamento do novo sistema de audimetria impactaram igualmente na decisão da CAEM de não avançar com a auditoria ao actual sistema solicitada pela TVI e pela Marktest após o conflito em torno das audiências da estação durante a transmissão do jogo Paços de Ferreira – Sporting. No entender da CAEM, “não faz sentido uma auditoria” numa fase em que está previsto avançar-se para um novo sistema e pelo tempo que a mesma iria demorar. “A única auditoria que foi feita foi em 1998 e demorou um ano e meio”, recorda Fernando Cruz. Até ao fecho desta edição online não foi possível obter um comentário da TVI e da Marktest sobre esta decisão.

Este tema será desenvolvido na próxima edição em papel do M&P.

Deixe aqui o seu comentário