Grupo Renascença convida colaboradores à rescisão

Por a 22 de Fevereiro de 2010
gruporenascenca.jpg

O Grupo Renascença fez no início do ano um convite à rescisão aos seus colaboradores, apurou o M&P. De acordo com as fontes ouvidas, o grupo que detém a Rádio Renascença, RFM, Mega Hits e rádio Sim não terá estabelecido uma meta em termos de número de pessoas a sair, nem áreas específicas da organização cujo peso na estrutura gostariam de ver reduzidas. Para além das estações, o grupo detém a Intervoz, empresa que garante a comercialização das estações do grupo, e a Génius & Meios (dedicada à formação e produção de espectáculos), perfazendo um total de cerca de 300 trabalhadores. O prazo para a adesão a este processo terminou há duas semanas, mas até ao fecho desta edição não foi possível apurar o número de colaboradores que se mostraram disponíveis para negociar a sua saída. O M&P tentou obter um comentário da administração do Grupo Renascença, mas até ao fecho desta edição online tal não foi possível. O grupo é detido a 60% pelo Patriarcado de Lisboa e a 40% pela Conferência Episcopal Portuguesa.

O grupo Renascença é o último grande grupo a operar medidas de redução de quadros. Cofina, Controlinveste, Impala, Impresa, Media Capital e Motorpress Lisboa foram alguns dos grupos que durante o ano passado realizaram reduções na sua estrutura.

Deixe aqui o seu comentário