Impresa reforça segmento automóvel com Volante

Por a 13 de Novembro de 2009

p4.jpg
A Imprensa está a apostar no segmento automóvel. Depois de em Dezembro ter alienado a Turbo, o grupo de Francisco Pinto Balsemão junta uma nova revista ao seu portfólio na área automóvel. Para o final deste mês o grupo planeia o lançamento da mensal Volante, bem como uma reformulação do site de classificados Carfilia que passa a designar-se Autoguia. “O sector dos media é um mercado dinâmico. E a Impresa sempre esteve atenta a novas oportunidades. O sucesso da secção Volante na revista semanal Autosport e a gradual recuperação do investimento publicitário do sector automóvel são duas das razões que nos levam a reforçar o investimento neste segmento. Tínhamos definido estrategicamente fazer esta aposta só em meados de 2010, mas decidimos antecipá-la por causa destes factores”, explica José Carlos Lourenço, administrador executivo da Impresa Publishing.

A Volante, título mensal, junta-se assim à semanal Autosport e visa criar “um espaço que ainda não existe neste mercado”. O segmento de imprensa automóvel, no entender de José Carlos Lourenço, divide-se “entre as publicações mensais que se centram exclusivamente na componente de serviço mas com um grafismo pouco interessante, com indicações relativamente à compra de um carro”, e “as mais entusiastas, que analisam as últimas novidades do mercado e dão a conhecer os carros pouco acessíveis ao comprador médio, com uma linguagem e grafismo atraentes”. Dirigida por Rui Pelejão, que acumula com a Autosport, a Volante “quer proporcionar aos seus leitores muito serviço, com uma abordagem e um visual útil e atraente”. Nesse sentido, o título dirige-se tanto ao público masculino como o feminino, destinando-se “a todos os que necessitam de comprar um automóvel, permitindo a quem gosta, ou precisa de acompanhar o mercado, ter toda a informação relevante de que necessita”. Linha de Montagem, Centro de Testes, Os Melhores Carros para Todos os Orçamentos, Autoguia (guia de preços e características dos novos modelos) são algumas das secções da revista que terá um mínimo de 100 páginas. Vasco Ferreira, director de arte da Impresa Publishing, assina o projecto gráfico. O preço de capa da Volante não foi revelado, mas a publicação vai ter uma tiragem inicial de 30 mil exemplares “ajustada caso necessário”. A impressão é da Lisgráfica e a distribuição da Vasp. José Carlos Lourenço não revela expectativas comerciais, nem de vendas para o novo título, mas nos objectivos está “liderar”.

O arranque da Volante implicou um reforço da equipa, com a contratação de Bernardo Gonzalez (antigo director da Quattro Ruotte, da Impala), para editor executivo da Volante, bem como da área comercial, estando a decorrer um processo de recrutamento.

Multiplataforma também na área automóvel
O lançamento da Volante insere-se na estratégia multiplataforma que a Impresa Publishing tem vindo a implementar, afirma José Carlos Lourenço, pois “a equipa que produz os conteúdos do Autosport, e que fará agora a Volante, já era igualmente responsável pelos conteúdos relacionados com o sector automóvel de outras publicações do grupo, como o Expresso/Revista Única, a Visão ou a Exame”. O projecto também vai manter uma presença online, com o site de classificados Carfilia, agora Autoguia. “Carfilia é a designação técnica do motor de busca que diferencia o nosso site de classificados dos outros do mercado”, começa por explicar o administrador executivo da Impresa Publishing. “Como queríamos ganhar ‘time to market’ e houve uma questão nessa altura com o registo da marca Autoguia.pt (que desde o início considerámos ser a adequada ao posicionamento do novo produto) avançámos com a marca Carfilia.com”, acrescenta. Afastadas as questões de registo, a nova marca online de classificados do grupo Impresa cruza-se com a Volante, na medida em que dá nome à secção da revista onde se podem encontrar informação sobre preços e características dos diversos modelos no mercado. Apesar de notícias darem conta de perdas de receita para os grupos em termos de classificados online no mercado internacional, facto de resto reconhecido pelo próprio grupo no último relatório e contas, José Carlos Lourenço mostra-se optimista q.b. quanto à capacidade de geração de receitas do site de classificados. “As perspectivas estão a mudar ligeiramente. Começam a surgir dados de alguma retoma neste sector, mas com cautela”, diz, concretizando com os números apresentados esta semana pela Associação Automóvel de Portugal, segundo os quais as vendas aumentaram 3,5 por cento em Outubro, face a igual período do ano passado. “É a primeira vez no ano que o mercado regista uma variação homóloga positiva”, destaca. “E esta é a altura certa para este retorno. O mercado dá os primeiros sinais de retoma e queremos por isso alavancar já, com a eficácia dos nossos produtos editoriais, o que os nossos anunciantes precisarem de comunicar”, defende.

O grupo planeia neste segmento marcar presença noutras plataformas. “Nos nossos planos está obviamente avançar para a plataforma televisão, depois do papel, da internet e dos eventos”. Quanto a timings? “Estas novidades serão oportunamente divulgadas”, diz. Prevista está uma acção de comunicação “impactante”, em meios do grupo e externos. José Carlos Lourenço não revela o valor do investimento global neste projecto, mas admite que “não será um investimento avultado já que iremos potenciar o know-how que temos dentro de casa”.

Deixe aqui o seu comentário