Saltar o menu e ir para os conteúdos
Publicidade :: Artigos de Fundo

Outdoor de alta definição

31 de Julho de 2009 às 05:38:39, por Maria João Lima

pho_3438.jpg pho_3474.jpg

Cerca de 13 minutos é o tempo que demora um profissional treinado a montar os outdoors de nova geração que a JCDecaux e a Impression Portugal estão a apresentar ao mercado e que estarão nas ruas a partir de Setembro. Para se ter uma ideia, os tradicionais 8×3 de papel, com 12, 14 ou 16 peças que têm que ser montadas em puzzle, demoram entre 20 e 25 minutos a serem fixados. Os novos cartazes são compostos por apenas uma peça com uma definição de impressão superior.

Miguel Raposo Magalhães, director comercial da JCDecaux, adiantou ao M&P que, na Europa, este sistema só existe em Inglaterra onde há cerca de cinco mil painéis montados.

“Por contactos que temos com a Impression Portugal, foi-nos apresentada a solução e nós decidimos avançar para este projecto que nos parece um passo em frente na publicidade exterior e no outdoor”, acrescenta.

A Impression Portugal, que tem a licença para Portugal, Espanha, França e Itália, entra no fornecimento do sistema e na impressão, detalhou ao M&P Pedro Jacques de Sousa, administrador-delegado da Impression Portugal.

Em Setembro a rede vai arrancar com 100 painéis na Grande Lisboa e no Grande Porto que estão em fase de montagem.

“Esperamos que a partir de agora a procura seja tanta que possamos começar a transformar a maior parte dos nossos painéis nesse sistema em todo o país”, comenta o director comercial da empresa de exterior. Nesta fase inicial, Lisboa contará com 65 por cento das posições. O mesmo profissional refere que a reacção dos anunciantes tem sido boa. “A dificuldade tem sido trazer as pessoas a verem de que se trata. Temos trazido cá [Vialonga, onde se localiza o centro de logística da JCDecaux] muitas agências de media, algumas criativas e clientes”, comenta. “Creio”, acrescenta, “que algumas marcas da indústria automóvel devem ver isto com óptimos olhos”.

Praticamente garantida está já a ocupação para a primeira quinzena de Setembro, escusando-se a empresa de publicidade exterior a revelar o anunciante. Mesmo assim, Anita Martins, directora-geral da JCDecaux, refere que esta rede servirá também para trazer novos sectores para este formato já que a garantia da qualidade de impressão é diferente. Até aqui havia sectores de mercado “com medo” do 8×3 por causa do papel e da definição de cores.

Preocupações ambientais

Este produto traz também a preocupação ambiental para a área da publicidade exterior. Com esta solução há poupança de recursos pois deixa de se usar cola e o cartaz é reciclável a 100 por cento, indica Miguel Raposo Magalhães. E recorda que quando se faz uma campanha de 8×3 tradicional, o papel não é reaproveitado. “Neste caso vamos poder sempre reafixar a campanha se o cliente assim o entender”, garante. As telas serão recicladas por empresas certificadas. Poderão transformar-se em sacos de supermercado, brindes de sinalização, entre outros. A qualidade obtida com este tipo de cartazes é outro dos trunfos apresentados pela JCDecaux: “É uma impressão com altíssima definição”. Miguel Raposo Magalhães sublinha que a empresa não vai deixar de ter o 8×3 tradicional, mas recorda que quando se imprime em 12 folhas a tonalidade de um fundo não é constante. Como mais-valia, o high definition outdoor (HDO) permite que apenas uma pessoa monte e desmonte as telas, enquanto na versão até aqui conhecida era necessário um ou dois profissionais para acertar as peças do puzzle, ao mesmo tempo que, com uma vassoura grande, colocavam cola.

Custos envolvidos

A JCDecaux está a disponibilizar esta rede ao preço da mais cara que tinham até aqui. “O mercado não está fácil e apresentamos uma novidade. Num ano tão difícil pode ser o que nos vai puxar para cima, mas também pode morrer no ano em que nasce”, diz o director comercial. Mas como prova de confiança, a empresa decidiu avançar. Ainda assim, Miguel Raposo Magalhães, vai dizendo que, apesar de este sector viver de descontos, nesta rede não haverá muita margem para tal. “Esta será a nossa rede mais premium”, garante.

O valor de tabela para a rede HDO é de 112.500 euros por cada período de afixação (14 dias). Em termos de custos de impressão estes devem rondar o dobro dos do papel, diz o responsável da Impression, salientando que acredita que com o aumento de quantidade, o preço irá diminuir.

Este sistema será exclusivo da JCDecaux durante um ano.

“Espero que ao fim de três meses eu faça a encomenda de mais uma ou duas redes devido ao seu sucesso”, comenta Pedro Jacques de Sousa. O polyethylene é uma patente exclusiva da Impression que será a única empresa a fazer a impressão.

Anita Martins diz que se trata de um investimento em inovação e tecnologia, transformando um formato que se diz não ser tão nobre. Esta profissional diz que desde que a JCDecaux comprou a RED em 2001, a empresa tem vindo a investir na qualidade. Nessa altura os cartazes estavam muitas vezes rasgados. “Nós melhorámos e a concorrência teve necessidade de ir atrás”, comenta. E esta aposta agora no HDO é mais um passo que dão nesta perspectiva de serem líderes de mercado. “Somos nós a incentivar o mercado”, refere, acrescentando que o papel da JCDecaux é puxar o mercado do exterior com novos produtos e inovações.

 Vantagens do HDO

- rapidez de montagem
- resistência ao mau tempo
- qualidade de impressão
- reciclável
- reutilizável