24 Horas poupa 1 milhão de euros com novo formato

Por a 31 de Março de 2009

24horas.jpgO 24 Horas vai assumir um novo formato “em Abril”, adiantou Pedro Tadeu, director do título, confirmando a notícia avançada no início do mês pelo M&P. O jornal, explica o responsável editorial, vai apresentar de segunda a domingo um formato reduzido “quase de revista”, em papel de jornal, agrafado, totalmente a cores. O jornal em formato e papel de revista ao fim-de-semana desaparece. De segunda a quinta, o diário apresentará uma média de 48 páginas, que aumenta para 64 páginas à sexta-feira e para 96 no fim-de-semana. Durante a semana a revista/suplemento 24 Horas Casa é extinta, mantendo-se o Bits e Bytes à sexta-feira.
Mudanças que visam obter um “formato mais confortável, mais fácil de transportar” que resulta, diz Pedro Tadeu, num “produto novo” que, em termos de conteúdos, vai trazer “noticiário e histórias próprias do 24 Horas”, mas também conteúdos típicos de revistas, das newsmagazines, às de sociedade. O novo diário “não terá secções do tipo Nacional”, descreve Pedro Tadeu, mas sim “um alinhamento de telejornal onde as notícias são ordenadas não pelas secções, mas pela sua importância. Todo o trabalho é focado nas pessoas”, sejam celebridades ou anónimos. O preço de capa deste novo formato “ainda está a ser discutido com a administração”. Actualmente, o título custa 75 cêntimos.

Pedro Tadeu frisa que a vontade de conquistar novos leitores para o 24 Horas foi a razão que motivou esta mudança de formato, dado que “o mercado de revistas – da Visão à Maria – é muito maior do que o dos jornais. E com esta mudança procuramos ter um formato que agrade a este público”. Aumentar a circulação paga do jornal é um objectivo. “Hoje em dia qualquer valor acima dos 35 a 40 mil exemplares de média de circulação já é positivo”, afirma. O director do 24 Horas admite, contudo, que “apesar da crise” não ter determinado a mudança, o novo formato implica “uma relevante poupança de custos” industriais. Quanto? “Um milhão de euros” anuais, revela Pedro Tadeu. O novo formato, diz ainda, também tem em conta “a redução de capacidade de trabalho” decorrente do processo de despedimento colectivo em curso no grupo Controlinveste e que também atingiu o 24 Horas.

Actualmente, trabalham no jornal 35 jornalistas, 11 gráficos, 8 profissionais de pré-press e 4 fotógrafos. O novo formato foi estudado e desenvolvido internamento, sob a responsabilidade de Rui Lisboa.

Deixe aqui o seu comentário