Martini muda de estratégia em Lisboa

Por a 25 de Novembro de 2005

Lisboa foi o placo do encontro mundial de responsáveis pelo marketing da Martini que juntou cerca de 100 profissionais em Lisboa. Reinventing Martini foi o mote para dois dias de reuniões que serviram para definir o reposicionamento da marca já no início do próximo ano. «Resolvemos reposicionar a marca em termos de aproach ao consumidor», comentou ao M&P Fernando Ribeiro, brand manager da Martini portuguesa. A figura do Martini Man, assente no elitismo e individualismo, vai desaparecer definitivamente, para dar lugar a uma comunicação assente em mensagens de amizade, amor e partilha. «Hoje as necessidades dos consumidores são diferentes. Não queremos as pessoas mais bonitas do mundo. Queremos coisas tangíveis», continua. Portugal vai ser dos primeiros países a adoptar, já em Janeiro, a nova filosofia de comunicação da Martini, que está a ser desenvolvida pela McCann a nível internacional. Em termos de consumo, a ordem é captar um novo perfil, apresentando combinações da bebida que vão para além do Martini com gelo, isto é, criando combinações mais refrescantes e menos alcoólicas. Fernando Ribeiro comentou ainda que o formato da mini-garrafa Martini de 6 cl, até aqui produzida apenas em Portugal vai estender-se a Espanha e França.

Em termos promocionais, foi apresentado o projecto Terraza Martini, «um novo conceito de trade de loja», que irá circular por eventos europeus, como os festivais de Cannes e de Berlim. Em Portugal também estará presente, apesar dos responsáveis ainda não terem escolhido o evento que coincide com o perfil do projecto. Um dos projectos de comunicação de loja da Martini global consiste numa linha de material de ponto de venda, criado pela Euro RSCG Arquitectura & Design, depois da Bacardi-Martini ter convocado um concurso com agências de Espanha, Itália e Portugal.

Esta reunião, organizada pela Hill & Knowlton, realiza-se a cada dois anos. Para a Martini, Portugal é o sétimo país mais importante em termos de vendas e o quinto em termos de contribuição líquida para os resultados.

Deixe aqui o seu comentário

Martini muda de estratégia em Lisboa

Por a

Lisboa foi o placo do encontro mundial de responsáveis pelo marketing da Martini que juntou cerca de 100 profissionais em Lisboa. Reinventing Martini foi o mote para dois dias de reuniões que serviram para definir o reposicionamento da marca já no início do próximo ano. «Resolvemos reposicionar a marca em termos de aproach ao consumidor», comentou ao M&P Fernando Ribeiro, brand manager da Martini portuguesa. A figura do Martini Man, assente no elitismo e individualismo, vai desaparecer definitivamente, para dar lugar a uma comunicação assente em mensagens de amizade, amor e partilha.

«Hoje as necessidades dos consumidores são diferentes. Não queremos as pessoas mais bonitas do mundo. Queremos coisas tangíveis», continua. Portugal vai ser dos primeiros países a adoptar, já em Janeiro, a nova filosofia de comunicação da Martini, que está a ser desenvolvida pela McCann a nível internacional. Em termos de consumo, a ordem é captar um novo perfil, apresentando combinações da bebida que vão para além do Martini com gelo, isto é, criando combinações mais refrescantes e menos alcoólicas. Fernando Ribeiro comentou ainda que o formato da mini-garrafa Martini de 6 cl, até aqui produzida apenas em Portugal vai estender-se a Espanha e França.

Em termos promocionais, foi apresentado o projecto Terraza Martini, «um novo conceito de trade de loja», que irá circular por eventos europeus, como os festivais de Cannes e de Berlim. Em Portugal também estará presente, apesar dos responsáveis ainda não terem escolhido o evento que coincide com o perfil do projecto.

Um dos projectos de comunicação de loja da Martini global consiste numa linha de material de ponto de venda, criado pela Euro RSCG Arquitectura & Design, depois da Bacardi-Martini ter convocado um concurso com agências de Espanha, Itália e Portugal.

Esta reunião, organizada pela Hill & Knowlton, realiza-se a cada dois anos. Para a Martini, Portugal é o sétimo país mais importante em termos de vendas e o quinto em termos de contribuição líquida para os resultados.

Deixe aqui o seu comentário