O adeus do jornal “Grande Amadora”

Por a 23 de Fevereiro de 2001

O semanário termina hoje a sua publicação, pouco tempo depois do anúncio do novo regime de porte-pago

Numa ocasião em que o fim da comparticipação estatal do porte-pago está na ordem do dia, o semanário “Grande Amadora”, propriedade da Sojorama, publica hoje o seu último número, após sete anos de edições ininterruptas. O novo regime de porte-pago implicaria que esta publicação despendesse por mês um montante entre 200 e 300 contos, situação que veio a revelar-se incomportável. Apesar dos insistentes contactos efectuados, não foi possível até ao momento de fecho desta edição obter quaisquer declarações quer por parte da direcção, quer por parte da administração do jornal.

Por seu turno, Albano Brito Almas, director do “Rota das Linhas”, do concelho de Oeiras, não se mostra afectado com esta medida. «A imprensa regional tem tantos problemas… O fim do porte-pago é apenas mais um. Além disso, entendo a imprensa regional sem necessidade de guarda-chuvas de qualquer espécie», afirma.

António Laranjeiro, director do “Notícias de Leiria”, comenta as alterações no sistema de porte-pago dizendo que «o sistema de apoio que tem existido por parte do Estado é um constrangimento á concorrência. O porte-pago — quando não correctamente fiscalizado — apenas serve para aumentar artificialmente as tiragens». De forma algo categórica, não se coíbe mesmo de afirmar que «os jornais regionais têm de sobreviver sem a ajuda do Estado. Muitos vão fechar, é certo, mas será benéfico em termos de moralização».

Deixe aqui o seu comentário