Nasceu a rádioTropical Fm

Por a 3 de Novembro de 2000

“A Rádio do seu rádio.” É através deste slogan que passará a ser conhecida a Tropical Fm, nova estação dedicada á música latina

O mercado nacional de radiodifusão conta com uma nova estação. A frequência 95.3 pertence agora á Tropical Fm, uma rádio que tem vindo a efectuar as suas transmissões de forma experimental, mas que, a partir do dia 15 de Novembro, passará a carácter definitivo.

Especialmente dedicada á música latina, a Tropical Fm tem como sócios a empresa Cena 1 (uma produtora brasileira de audiovisuais), Eduardo Barbetti e Francisco Oliveira, ambos provenientes da Rádio Cidade e Rádio Romântica. Foram estes dois responsáveis que, depois de tomarem conhecimento de que a frequência estava á venda, resolveram avançar para o projecto. Projecto esse que, de acordo com Francisco Oliveira, «já vem sendo amadurecido há algum tempo». Segundo o mesmo responsável, «a Tropical Fm não surge para competir com outras rádios, mas sim preencher uma lacuna no mercado da música latina». Um mercado que, segundo Francisco Oliveira, «está a crescer muito em Portugal. Percebe-se que o consumo de música latina é muito grande e expressivo, mas não havia uma rádio exclusivamente virada para isso». Francisco Oliveira caracteriza assim a estação como «uma rádio de festa, de alegria e com uma locução curta e pequena».

Um target aberto

A Tropical Fm posiciona-se como uma rádio para vários segmentos, com uma programação leve, alegre, envolvente e eficiente. A ideia assenta naquilo a que os seus responsáveis chamam «target aberto». Francisco Oliveira explica que, «por ser uma rádio alegre, pretendemos abranger todo o público, dos mais novos aos mais velhos». De acordo com o responsável, «queremos dar mais intimidade e colocar o ouvinte na rádio, sem estarmos preocupados em atingir determinada classe social».

Além desta característica, o objectivo da estação passa por não ter compromissos, ou seja, sem rótulos: «Não queremos estar rotulados com nada, porque somos uma rádio aberta. Existem rádios de pop, outras de rock, mas nós teremos tudo isso, sempre inseridos num contexto de musica latina.» Francisco Oliveira adianta que a tecnologia a utilizar será uma das mais evoluídas, que permitirá um som digital e transporte por rede ou internet: «Estamos a fazer um forte investimento para podermos disponibilizar uma boa qualidade de som.» Investimentos que deverão passar também pelo reforço da equipa, que contará com «nomes conceituados, tanto no mercado português como no brasileiro».

No que respeita ás expectativas em torno das audiências, Francisco Oliveira adianta: «Apesar de ainda estarmos em fase experimental, já registamos uma procura significativa. No entanto, como ainda somos um embrião, é muito cedo para fazer qualquer avaliação, além de que é muito complicado falar sobre “público” no meio rádio.»

Deixe aqui o seu comentário