Dia de festa

Por a 7 de Janeiro de 2000

Hoje é dia de festa aqui na redacção. Primeiro, porque finalmente temos o www.meiosepublcicidade.pt e, segundo, porque fomos todos promovidos. Passo a explicar. Está a completar-se agora um ano desde que comecei a editar o jornal. A equipa de jornalistas já existia. Só entrou o Ricardo Melo, a meio do ano. Tive, de facto, muita sorte. Fui muito bem recebida e deparei-me com um grupo de pessoas que, em termos profissionais e humanos, estão muito acima da média. É, de facto, muito bom para mim trabalhar aqui. Pelas mais variadas razões, não foi feita, desde então, nenhuma alteração ao organograma da redacção. Trabalhámos sobretudo com o objectivo de melhorar qualitativamente o jornal, tendo em conta parâmetros que têm vindo a ser definidos por todos nós. Desde a administração, que nos forneceu as linhas mestras, até á redacção e paginação, que ao longo deste ano têm vindo a exercer a pressão para que tudo funcione cada vez melhor. Nem sempre foi fácil, mas acho que valeu a pena. Assim, e tendo em consideração o nível óptimo de exigência desta equipa, a partir de hoje cada um será formalmente responsável por áreas específicas do jornal: a Marisa Moura ficará com tudo o que é media tradicional – imprensa, televisão e rádio; o Fredy Vinagre responderá pela publicidade e new media; a Susana Veiga será responsável pelas áreas de produção e marketing; a Sofia Castro, pela comunicação e promoções e eventos; e o Ricardo Melo, pelas áreas internacionais. Por outro lado, o Fredy e a Marisa serão coordenadores de redacção, o que implica serem responsáveis pelo formato final de todo o jornal. Optei por este esquema porque me pareceu ser aquele que melhor se enquadrava no ambiente do jornal. Tenho a certeza – porque conheço o nível excepcional de cada um – que esta nova forma de trabalhar fará com que o jornal do ano 2000 seja ainda melhor. Mas, já que estamos a falar de equipa, gostaria ainda de salientar a importância de outros elementos que, embora não sejam jornalistas, desempenham um papel fundamental para que o jornal consiga ter o sucesso que lhe é reconhecido. Assim, a Cristina Almeida, secretária de redacção, mas, muito mais do que isso, o meu bom senso, a organização e o pilar deste jornal; a Catarina Barros e Sousa, responsável pela paginação do jornal, que também rompe com os limites da sua função, contribuindo com especial sensibilidade e capacidade de trabalho para o equilibrio de tudo o que por aqui se faz; e, last but not the least, o João Goulão, copy-desk, que também é mais que copy, é o elemento mais calmo e erudito com o qual poderia alguma vez contar. Desculpem o já extenso discurso, mas também é preciso não esquecer os fotógrafos, o Artur Henriques e o Luís Filipe Maia. É que, sem eles, nós também teríamos uma existência curta. Basta olhar para as magníficas fotografias que, por gosto, eles vão inventando. Assim, dou os meus parabéns a todos eles. E a todos os que, por uma questão de espaço, não pude mencionar, mas que contribuem semanalmente para que tudo se processe; aos que me escolheram e a todos vocês, por nos respeitarem e ajudarem a cumprir a nossa tarefa. Preparo-me, assim, para manter o meu cargo, mas assumir as rédeas de uma função que me parece bastante mais agradável – ir de férias sempre que possível, tirar fotografias novas, perder ou ganhar tempo com mais pessoas, com novas ideias e poder pensar mais em frente.

Deixe aqui o seu comentário