Antecipar tendências

Por a 1 de Outubro de 1999

Paulo Alves, o sorridente contacto a que os clientes da JWThompson se habituaram durante nove anos de casa, está agora na TBWA.EPG, como director executivo da Tequila, a network do grupo que hoje inicia a actividade em Portugal. Entusiasta da «convergência de ferramentas de comunicação», Paulo Alves assimilou sem dificuldades o posicionamento da Tequila: tudo gira em redor do cliente. As ferramentas não devem ser integradas (o que implica uma distinção), mas antes coexistirem em plena convergência. A missão principal da network é contribuir para que, no futuro, os clientes atinjam um maior share, o que significa – como explica Paulo Alves – «não seguir tendências, mas antecipá-las, criá-las». Este é, aliás, o actual posicionamento de toda a TBWA. O grupo advoga que marcas como a Nike têm de compreender que as gerações mais jovens não querem usar as marcas que os pais usam. Querem marcas próprias e as empresas têm de se antecipar ao desinteresse dos consumidores. Neste sentido, está em curso um estudo da TBWA sobre o assunto, intitulado «Geração Y». Sob a direcção de Paulo Alves trabalham dez profissionais, entre as quais a contacto Laura Lopes, que se segue ao director da Tequila e ao próprio Manuel Patarrana nas saídas da JWT. Além daquela, a equipa conta, para já, com mais oito criativos dos quadros da TBWA, liderados por Cláudia Portela, que transita de responsável da TBWA pelas acções alternativas para directora criativa da Tequila. Paulo Alves consolida agora o trabalho que vinha a desenvolver no campo da comunicação below-the-line. Com efeito, antes de assumir o cargo de director do grupo de comunicação integrada na JWT, o responsável foi supervisor de contas da Thompson Plus, “apêndice” da JWT para esta área, onde foi responsável por clientes como a Warner Lambert, Nestlé e Milaneza. Depois da Thompson Plus ser integrada na agência, Paulo Alves passou então pelas direcções de contas e de new business. Esta sucessão de postos na JWT surge após a sua entrada, como fotógrafo, há nove anos. Até então, além de se dedicar ao exercício da fotografia, Paulo Alves aspirava á profissão de biólogo e, á falta de um desempenho mais científico, fazia mergulho nos tempos livres.

Deixe aqui o seu comentário