Banco Mello com Nova Expressão

Por a 20 de Agosto de 1999

Cerca de meio milhão de contos por ano é o budget que a agência vai gerir até 2001

O Banco Mello atribuiu a sua conta de planeamento e compra de espaço publicitário á Nova Expressão. Segundo Luís d’Eça Pinheiro, director de marketing e comunicação do Banco Mello, a escolha da Nova Expressão deve-se ao facto de já existirem relações com esta agência, até á data responsável pela compra de espaço para o departamento de comunicação financeira, bem como de outras empresas do grupo José de Mello. Por outro lado, o responsável acrescenta que a Nova Expressão apresentou as melhores condições no concurso realizado. Recorde-se que o Banco Mello comprava espaço através da Optimedia, também presente na última fase do concurso, a par da Universal Media, Carat e João Martins e Associados. O valor da conta ronda meio milhão de contos/ano e o contrato será válido durante dois anos. Pedro Baltazar, director-geral da Nova Expressão, explica que «esta nova conta irá reforçar a consolidação e maximização do relacionamento aberto e profissional existente com os meios, com especial relevância no segmento da imprensa». Por outro lado, acrescenta considerar «muito positivo o maior posicionamento das media-buyers de capital totalmente português e independentes, sem ligações a agências de publicidade». Recorde-se que neste concurso apenas participaram agências de meios que não tinham entre os seus clientes outras instituições bancárias. A Nova Expressão, agência de meios que até á data tem dedicado grande parte do seu esforço ao planeamento e compra de espaço na imprensa para clientes institucionais, alarga assim a sua área de actividade e acrescenta mais um investidor á sua carteira, que este ano também passou a integrar as contas da Portugália Airlines e Ferraz Lynce.

Deixe aqui o seu comentário