RR: mais música

Por a 21 de Janeiro de 1999

Tornar o Canal 1 da Renascença mais musical é uma das medidas da profunda reformulação da estação

Até agora, a Renascença Canal 1 dedicava entre 50 e 60% da sua emissão á palavra. A partir de dia 31, data em que será lançada uma nova Renascença, essa percentagem deverá ser equivalente á da música. Outra mudança radical a operar na estação é a alteração de nome, que passa a ser apenas Rádio Renascença, abandonando a designação Canal 1, adoptada há cerca de 12 anos, quando nasceu a RFM. Agora, para se diferenciar melhor dos canais da RDP e mesmo da RTP, como explica o director de programas, António Sala, optou-se por esta solução. Segundo o responsável, uma das grandes alterações que poderão ocorrer é a nova formatação das horas da manhã. «O conceito 7 – 10 horas já acabou», afirma. E frisa que «o ouvinte das sete horas é diferente do das dez ou mesmo do das oito horas da manhã». A grelha de programas irá tornar-se «mais dinâmica»: desaparecem programas, regressam outros e haverá lugar á recolocação dos locutores. Nas saídas de antena, a substituição do “Despertar” é uma das hipóteses mais prováveis. Certa é a reposição da “Banda da Amizade”, um programa de prestação de serviços em várias áreas que regressa seis anos depois com a apresentação de Dina Isabel, entre as 15 e as 17 horas. A estratégia implica a apresentação de uma nova imagem gráfica e sonora da Rádio Renascença e uma eventual campanha publicitária. Os novos jingles foram concebidos pela NZ Produções, empresa seleccionada em concurso no qual participaram outras produtoras não divulgadas. De acordo com António Sala, a renovação não tem que ver com os resultados das audiências. Frisando que a quebra de 0,5 pontos face a 1998 foi inferior á descida global de rádio (0,6%), o responsável acrescenta que «numa estação com mais de 60 anos é normal que existam estas mudanças». Quanto ao target principal da estação, «o objectivo é manter a liderança nos indivíduos com mais de 35 anos, de todas as classes sociais».

Deixe aqui o seu comentário